QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

-->

“Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.” André Luiz

Como Aproveitar bem o Sono

Enviado em 5 de maio de 2014 | No programa: Diálogos Médicos | Escrito por | Publicado por Rádio Boa Nova

homem dormindo

O sono físico nem sempre representa algo que nos traz descanso, prazer.

É o caso dos que dormem muito pouco e sentem falta e dos que dormem, mas tem baixa qualidade de sono, porque tem pesadelos e sono agitado. Há também outros que dormem demais, mas  tem baixa qualidade do sono.

Enfim são problemas variados.

O fato é que nem sempre compreendemos bem o que se passa conosco durante os instantes de repouso.

Relembremos, inicialmente, o que Allan Kardec perguntou sobre este assunto aos Espíritos Instrutores, em O Livro dos Espíritos:

Questão 412 – A atividade do Espírito durante o repouso ou o sono do corpo, pode fazê-lo experimentar fadiga, quando retorna?
Resposta:  – Sim, porque o Espírito tem um corpo, como o balão cativo tem um poste. Ora, da mesma forma que a agitação do balão abala o poste, a atividade do Espírito reage sobre o corpo e pode fazê-lo experimentar fadiga.

A respeito deste assunto, buscamos também uma mensagem muito oportuna  do Instrutor Calderaro no livro  Instruções Psicofônicas ( cap. 49), uma das orientações recebidas psicofonicamente pelo médium  Chico Xavier, denominada  Além do sono.

Inicialmente o grande instrutor nos lembrou que o dia simboliza a existência e o sono a morte. De fato, o sono não deixa de ser uma preparação para a morte. Assim como não há morte libertadora sem existência edificante também não há noite proveitosa sem dia correto.

A atividade espiritual da alma encarnada tem influência além do sono físico. A invigilância e a irresponsabilidade que manifestamos durante o dia geram alucinações quando estamos no estado de repouso. 

Calderaro afirma:                                                           

É natural que o dia mal vivido exija a noite mal assimilada.
O espírito menos desperto para o serviço que lhe cabe, certamente encontrará, quando desembaraçado da matéria densa, trabalho imperioso de reparação a executar.

Por esse motivo, a grande maioria de companheiros encarnados gasta as horas de sono exclusivamente em esforço compulsório de reajuste.

Mas , se nós durante o estado de vigília cumprimos o nosso dever, é natural que durante o sono do corpo físico, venhamos a ser precioso auxiliar nas realizações da Esfera Superior. Calderaro em sua mensagem dirige um convite a todos nós:

Convidamos, assim, a vocês, tanto quanto a outros amigos a quem nossas palavras possam chegar, à tarefa preparatória do descanso noturno, através do dia retamente aproveitado, a fim de que a noite constitua uma província de reencontro das nossas almas, em valiosa conjugação de energias, não somente a benefício de nossa experiência particular, mas também a favor dos nossos irmãos que sofrem.
Muitas atividades podem ser desdobradas com a colaboração ativa de quantos ainda se prendem ao instrumento carnal, principalmente na obra de socorro aos enfermos que enxameiam por toda parte.

Ao mesmo tempo que Calderaro nos faz esse convite, ressalta a importância das ideias na origem das doenças, diz ele:

Vocês não desconhecem que quase todas as moléstias rotineiras são doenças da ideia, centralizadas em coagulações de impulsos mentais, e somente ideias renova-doras representam remédio decisivo.

É justamente aí que entra a ação do mundo espiritual durante o descanso físico:

Por ocasião do sono, é possível a ministração de amparo direto e indireto às vítimas dos labirintos de culpa e das obsessões deploráveis, por intermédio da transfusão de fluidos e de raios magnéticos, de emanações vitais e de sugestões salvadoras que, na maior parte dos casos, somente os encarnados, com a assistência da Vida Superior, podem doar a outros encarnados.
E o mais extraordinário é que os Benfeitores da Espiritualidade vivem a postos, aguardando os enfermeiros de boa vontade, samaritanos da caridade espontânea, que, superando inibições e obs¬táculos, se transformem em cooperadores diligentes na extensão do bem.

Como a gente faz para trabalhar utilmente enquanto dorme? O Benfeitor responde:

Se vocês desejam partilhar semelhante concurso, dediquem alguns momentos à oração, cada noite, antes do mergulho no refazimento corpóreo.
Contudo, não basta a prece formulada só por só.
É indispensável que a oração tenha bases de eficiência no dia bem aproveitado, com abstenção da irritabilidade, esforço em prol da compreensão fraterna, deveres irrepreensivelmente atendidos, bons pensamentos, respeito ao santuário do corpo, solidariedade e entendimento para com todos os irmãos do caminho, e, sobretudo, com a calma que não chegue a ociosidade, com a diligência que não atinja a demasiada preocupação, com a bondade que não se torne exagero afetivo e com a retidão que não seja aspereza contundente.

Como vemos, Calderaro nos traça o roteiro de ação durante o dia para que sejamos úteis a nós mesmos e aos outros durante o sono.

Ele enfatiza:

Em suma, não prescindimos do equilíbrio que converta a oração da noite numa força de introdução à espiritualidade enobrecida, porque, através da meditação e da prece, o homem começa a criar a consciência nova que o habilita a atuar dignamente fora do corpo adormecido.

Os nossos guias e protetores estão conosco durante o sono, mas é preciso que nós nos consagremos a efetuar essas instruções.

Será que nós nos lembramos daquilo que se passa na companhia dos nossos mentores durante o repouso físico? Calderaro responde que na maioria das vezes nós não recordaremos, mas nós cresceremos nessa associação com o Mais Alto.

E ele encerra a sua comunicação com um apelo para que nos apliquemos ao ideal de servir, porque a alma que se devota à reflexão e ao serviço, ao discernimento e ao estudo, vence as inibições do sono fisiológico e, desde a Terra, vive por antecipação na sublime imortalidade.

 

Foto ilustrativa: www.estivanellicg.com

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

Deixe seu comentário:

WhatsApp