QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

-->

“Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.” André Luiz

Somos Jovens Demais Para Morrer

Enviado em 15 de outubro de 2014 | No programa: Juventude Maior | Escrito por | Publicado por Rádio Boa Nova

Mãos dadas com pulseiras simbolizando GLSO preconceito é uma chaga, a chaga que fere e magoa, apenas destrói e nada constrói.

Aquele que sofre o preconceito jamais esquece, mas com isso pode aprender a perdoar aquele que ainda não criou a consciência e a essência do “Amai-vos uns aos outros”.

As atitudes preconceituosas são inúmeras e partem de diversas circunstâncias.

Existe preconceito:

  • Com a cor da pele;
  • Com a cultura;
  • Com a região;
  • Com a religião;

E ainda vai longe, como por exemplo, o preconceito com a opção sexual, opiniões e por aí vai…

O preconceito é cruel, e dele pode-se gerar a violência.

No livro “Somos Jovens Demais Para Morrer” temos exemplos claros de jovens que vivenciaram o preconceito em suas vidas.

Sabine era fila de um general da SS, na Alemanha, a garota mal sabia que seu pai liderava um campo de concentração Nazista. Quando ela descobre acaba por criar algo misto com desgosto e desapontamento, mas nunca deixou de amar o seu pai.

Essa história é fascinante!

Mostra a quebra da barreira do preconceito, quando a personagem ajuda um grupo de quatro jovens que são judeus. Sabine os abriga em sua casa, oferece comida e muito carinho, ela não pensou em qual era a posição daqueles jovens, ela apenas ajudou, se doou e praticou a caridade, um verdadeiro exemplo de amor ao próximo.

Sabine não somente auxiliou mas compreendeu a dor de todos aqueles que sofreram com o Nazismo.

Dessa amizade nasce um amor que não se apaga e que será levado por vidas e vidas. A aventura desses jovens nos ensina lições grandiosas.

“Somos Jovens Demais Para Morrer” nos mostra que somos todos iguais perante a Deus e que devemos nos amar, estamos neste planeta, nesta existência para praticarmos esse grande exercício.

O preconceito é feio, obscuro, não é leal, não é justo.

Que possamos nos livrar de todos os preconceitos que nos cercam, aprender a compreender uns aos outros e respeitar as diferenças, só assim então seremos realmente felizes.

O livro Somos Jovens Demais Para Morrer foi escrito por Adeílson Salles, adquira o seu através do site da Editora Intelitera.

 

Foto ilustrativa: 1.bp.blogspot.com

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

Deixe seu comentário:

WhatsApp